Tony Goes

Internet ajudou a inflar o conflito entre Fernando Rocha e Ivaldo Bertazzo

Fernando Rocha, apresentador do "Bem Estar"
Fernando Rocha, apresentador do "Bem Estar" - Reprodução


Fui aluno de Ivaldo  Bertazzo. Fiz aulas em sua escola durante dois anos, no começo da década de 1990. Eram divertidíssimas: Bertazzo é carismático, engraçado, do tipo que não parece levar nada a sério. Só que leva. Também é exigente e rigoroso, o que o ajudou a se tornar um dos coreógrafos mais respeitados do Brasil.

Há mais de 20 anos, Bertazzo vem montando espetáculos onde mistura bailarinos profissionais com amadores. Ele coloca no palco gente de todas as idades, tamanhos e habilidades. E põe todo mundo para dançar, com resultados assombrosos.

Não é porque uma de suas turmas é formada por pessoas que sofrem ou sofreram de depressão que Bertazzo vai amolecer. Claro que ele não vai cobrar um desempenho excepcional de quem nunca dançou na vida. Mas está montando com essas pessoas um espetáculo que levará seu nome e, por isso mesmo, não vai pegar leve ou agir de maneira fofa com elas.

É duro? É. Quem começou a dançar tardiamente, como eu, sabe que tem horas em que a coisa flui como por milagre. Mas tem outras, muitas, em que a gente simplesmente trava. O movimento não sai, ou sai sujo. Ivaldo Bertazzo não gosta disso, e vai pressionar para que você melhore.

Fernando Rocha, apresentador do programa "Bem Estar" (Globo), é um sujo assumido. Foi assim que ele se definiu ao anunciar que estava deixando o projeto "Quem Dança Seus Males Espanta" na sexta (29), sem deixar muito claro se fora expulso ou pedira para sair.

O desabafo foi ilustrado por imagens do ensaio, onde Bertazzo aparece gritando com os alunos. Evidentemente, a reação dos internautas foi imediata: como que um coreógrafo que se propõe a trabalhar com pessoas que lutam contra a depressão as trata desse jeito? Muitos o atacaram nas redes sociais, e se solidarizaram com Rocha —que, para variar, chorou em frente às câmeras.

Fernando Rocha tem uma tendência a fazer um reality  show de si mesmo. Foi assim quando emagreceu mais de 20 quilos, foi assim quando participou do quadro "Dança dos Famosos" no Domingão do Faustão. Numa época em que a fronteira entre jornalismo e entretenimento está ficando difusa, ninguém a embaralha mais do que Rocha.

Na segunda (2), os alunos que continuaram no projeto divulgaram uma carta criticando a atitude do apresentador e defendendo Ivaldo  Bertazzo. O próprio coreógrafo se posicionou, num texto elegante porém firme. E a Globo quer que o assunto seja esquecido, rápido.

Jamais saberemos exatamente o que se passou nos bastidores, e talvez isso nem importe. Cada uma das partes envolvidas terá sua própria versão, e não duvido que todos também tenham boas razões.

Mas é curioso como este episódio —um incidente dentro de um quadro de um programa matinal — tomou proporções inéditas, e muito por causa da internet. Fernando Rocha também tem sua parcela: a edição tendenciosa que mostrou Ivaldo Bertazzo como um vilão e o fato do apresentador desistir de todo um espetáculo por ter ido mal em apenas um de seus momentos não o livram de alguma culpa.

E o público, para variar, mais uma vez se deixou levar pelo valor de face. Não quis saber do outro lado, não quis saber do contexto, só quis saber de uma história com o bem e o mal bem definidos. Isto só acontece nos reality  shows. A vida real é um pouco mais complicada.

Tony Goes

Tony Goes tem 56 anos. Nasceu no Rio de Janeiro, mas vive em São Paulo desde pequeno. Já escreveu para várias séries de humor e programas de variedades, além de alguns longas-metragens. E atualiza diariamente o blog que leva seu nome: tonygoes.blogspot.com

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem
[an error occurred while processing this directive]