Tony Goes

Caso Leonardo Vieira levanta uma questão: celebridades gays devem sair do armário?

Leonardo Vieira foi fotografado beijando um amigo na boca na saída de uma festa no Rio. As fotos foram publicadas em um site de fofocas e provocaram uma avalanche de comentários homofóbicos nas redes sociais do ator.

Como tem acontecido nos casos de ataques racistas pela internet, Leonardo prestou queixa na Delegacia de Repressão a Crimes de Informática, na esperança de identificar e punir pelo menos alguns dos culpados.

Também divulgou uma longa carta, que funciona como um desabafo e uma tomada de posição. Nela, o ator diz que não está se assumindo (termo que ele acha mais apropriado para crimes, aliás) gay e que jamais escondeu sua sexualidade. Por outro lado, admite que sempre protegeu sua vida pessoal, pois acredita que um ator deve ser como uma tela em branco.

Essa é uma questão interessante. São inúmeras as celebridades homossexuais que não escancaram para o público sua privacidade, mas tampouco fazem grande segredo de sua verdadeira orientação. Por isso mesmo, são frequentemente cobradas por militantes da causa LGBT e até mesmo acabam chamadas de covardes.

Não resta dúvida de que um famoso que se declara homossexual está prestando um serviço a toda a humanidade. Os jovens apavorados que estão descobrindo suas diferenças, muitas vezes crescendo em comunidades intolerantes, percebem que não estão sozinhos no mundo. Há mais gente como eles e vivendo muito bem. Perdem o medo de ser o que são e se sentem mais preparados para enfrentar o mundo.

Mas as celebridades que saem do armário pagam um preço. Mesmo que expostas contra a vontade, são acusadas de querer aparecer (é exatamente o que está acontecendo com Leonardo Vieira). Se chamarem a imprensa para declarar seu amor por uma pessoa do mesmo sexo, como fez Daniela Mercury, abrem-se as portas do inferno.

No caso de um ator, o problema é ainda mais delicado. É voz corrente que um gay assumido (perdão, Leonardo) não só dificilmente conseguirá papéis de galã, como não convencerá ninguém se o conseguir.

É por isso que a maioria dos nossos atores fora do armário costuma estar numa fase da carreira onde não se preocupam mais em protagonizar uma novela. Já são consagrados, acima do bem e do mal, como Marco Nanini.

Leonardo Vieira foi digno e corajoso ao escrever sua carta. Ainda mais se lembrarmos que seu empregador mais frequente na última década foi a Record, não exatamente um bastião da modernidade. Será que a emissora dos bispos o chamará para mais um papel em suas tramas bíblicas?

Hmm, talvez para o de um herege que morre fulminado pela ira de Jeová.

O ator Leonardo Vieira prestou queixa contra comentários homofóbicos que recebeu nas redes sociais
O ator Leonardo Vieira prestou queixa contra comentários homofóbicos que recebeu nas redes sociais - Reprodução/Instagram/leonardovieirator


Tony Goes

tem 54 anos. Nasceu no Rio de Janeiro, mas vive em São Paulo desde pequeno. Já escreveu para várias séries de humor e programas de variedades, além de alguns longas-metragens. E atualiza diariamente o blog que leva seu nome: tonygoes.blogspot.com

Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem