Renato Kramer

Cléo Pires diz que é 'muito boa' de tiro e tem porte de armas para esporte

A atriz Cléo Pires foi ovacionada pela plateia jovem masculina que assistia o "Programa do Jô" (Globo) desta sexta-feira (29).

"Linda!", exclamou um dos fãs mais eufóricos. "Ela é linda mesmo!", concordou o apresentador antes de dar início à entrevista. "Você tá tão bonita, meu Deus!", acrescenta Jô. "Maquiagem", retruca a atriz com certa timidez, "eu gosto muito de maquiagem, então eu dou uma caprichada". "A maquiagem só não adianta nada", replica o apresentador.

Cléo foi ao programa falar sobre o filme que protagoniza ao lado de Malvino Salvador e Dudu Azevedo: "Qualquer Gato Vira-lata 2" (Roberto Santucci) —e que tem a sua estreia prevista para dia 4 de junho próximo.

Quanto ao tempo de filmagem a atriz conta que levou apenas um mês. "Foi tudo muito em cima da hora. Duas semanas de preparação. Mas a gente já conhecia os personagens, então foi tranquilo", confidenciou a atriz.

<> Galeria de Imagens
3688
Matéria importada do Spiffy News

"Seu papai [Fábio Jr.] também participa do filme?", pergunta Jô, "o que é que ele faz?". Ele faz o meu pai!", responde Cléo. "Isso é tão original!", ironiza o apresentador. No telão é mostrada a cena em que o cantor Fábio Jr. contracena com a filha Cléo Pires.

"Foi legal, a gente estava muito emocionado. O (Paulo) Cursino, que escreveu o roteiro, parecia que ele tinha estudado a nossa história porque o diálogo era muito eu e ele [Fábio Jr.], sabe?". Jô quis saber há quanto tempo a atriz não via o pai quando o encontrou nas filmagens. "Não fazia muito tempo. A gente já estava ensaiando a volta da relação", confessou a atriz, que andou meio 'de mal' com o pai.

Na sequência, Cléo discorreu sobre suas paixões por carros e motos —coisas atribuídas ao "universo masculino". Conta que adorou fazer uma matéria para o programa "Estrelas" (Globo), apresentado por Angélica, na qual pilotou duas Ferraris adaptadas para a pista. No telão, Jô mostrou um trecho dessa matéria. "Foi incrível! Eu queria fazer isso uma vez por semana", declarou a atriz.

"A minha mãe (Glória Pires) gosta muito de pilotar. Acho que eu puxei dela isso", diz Cléo. "Ela gosta de pilotar?", reforçou o apresentador. "Gosta. Agora, cheia de filhos, cheia de compromissos...", explicou a filha da poderosa Beatriz de "Babilônia". "Fala pra sua mãe que ela continua linda e boa atriz", aproveita o ensejo o apresentador.

Quanto às motos, que Jô aproveita para relembrar o seu trauma por ter se machucado feio e desistido delas, Cléo conta que vai na garupa do marido Rômulo e acha muito bom. "Rômulo, vende essa porra!", Jô manda o recado. "Não, ele é super piloto! Ele pilota como poucas pessoas eu já vi pilotar", argumenta a atriz.

"Os motociclistas ficam loucos quando eu falo", desabafa o apresentador. "Mas eu andei quarenta anos de moto, no entanto a alegria dos quarenta anos não compensaram os dois tombos que levei".

Cléo faz uma confidência sobre quem a teria influenciado mais para o gosto dos motores. "Eu tinha um primo que foi a minha primeira paixão —sempre é primo, né? Eu tinha uns 5 anos, ele era 7 anos mais velho, o Daniel, e ele sabia tudo de carro, de arma, nome de motor... E eu queria estar no mundo dele. Então eu ia atrás e ia vivendo essas coisas".

"Você é boa de tiro também?", afirma Jô. "Sou muito boa", confirma Cléo. "Você anda armada?" Não, não ando. Acho perigoso andar armado. Mas eu tirei o porte de armas para esporte. Me associei ao Clube de Tiro de Petrópolis (RJ), inclusive. E aí tem os eventos lá e você treina com alvos e tudo", conclui.

"Bem, eu conversei aqui com Cléo Pires...", ia dizendo Jô Soares quando a convidada interpelou: "Acabou? Ah, não, Jô! Faz mais perguntas!", pediu Cléo Pires animada. A plateia a apoiou, aplaudindo muito. "Eu estava super nervosa antes de entrar, mas agora está gostoso de ficar aqui", confessou.

Antes de mostrar toda a sua habilidade no tiro ao alvo, a atriz revela que acabou de fazer também um filme de ação que deverá ser lançado em julho próximo: "Operações Especiais". "Você gosta de se assistir?", perguntou Jô já encerrando o delicioso bate papo com Cléo Pires. "Sim e não", respondeu a atriz.

E explicou: "Gosto porque, lá na hora que você está fazendo, você não tem muita noção do que está imprimindo, se foi exagerado, se foi menos —aí quando você vê pode perceber. Só que eu sou muito crítica. Então eu vejo todos os defeitos e erros e fico frustrada e deprimida... Depois tenho que ver de novo pra achar que tudo bem, eu não estou tão péssima assim. Vai dar certo".

"Tá bom agora, posso te dar um beijo?", pergunta o apresentador sobre o tempo a mais de entrevista que lhe proporcionou. "Ah, pode... Tá bom", responde Cléo sorridente, sob nova ovação da plateia. "Volte sempre. Você sabe que eu gosto muito de você". "Me chama que eu volto!".

Renato Kramer

Natural de Porto Alegre, Renato Kramer formou-se em Estudos Sociais pela PUC/RS. Começou a fazer teatro ainda no sul. Em São Paulo, formou-se como ator na Escola de Arte Dramática (USP). Escreveu, dirigiu e atuou em diversos espetáculos teatrais. Já assinou a coluna "Antena", na "Contigo!", e fez críticas teatrais para o "Jornal da Tarde" e para a rádio Eldorado AM. Na Folha, colaborou com a "Ilustrada" antes de se tornar colunista do site "F5"

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias