Celebridades

Robert Pattinson dorme em gaiola de cachorro e se sacrifica para suspense 'Good Time'

Pattinson e o diretor Ben Safdie posam em Los Angeles em evento de “Good Time”
Pattinson e o diretor Ben Safdie posam em Los Angeles em evento de “Good Time” - Reuters - 2/7/2017 - Mario Anzuoni


O ator Robert Pattinson, 31, acostumado a camarins de luxo e comidas gourmet, passou a tirar sonecas em uma gaiola de cachorro no set de seu filme mais recente, "Good Time", um suspense noturno de ritmo rápido ambientado na cidade de Nova York (EUA).

"Estávamos configurando as luzes e eu fiquei 'Onde está Rob?', eu olhei para o lado e lá está ele em uma gaiola de cachorro, uma grande gaiola de cachorro e Pattinson está dormindo lá", disse o codiretor do filme Josh Safdie, em entrevista.

"O cachorro estava irritado", acrescentou Pattinson. "Filmando no ritmo em que estávamos filmando, você está mais ou menos sempre ligado. Sequer tínhamos camarins."

O ator britânico, mais conhecido pelo papel do vampiro Edward Cullen na franquia "Crepúsculo", interpreta em "Good Time" um psicopata chamado Connie, que está obcecado em tirar seu irmão da cadeia após uma tentativa frustrada de roubo.

O longa, que estreia na próxima sexta (11) nos cinemas dos Estados Unidos, foi filmado em maior parte com câmeras de mão no distrito do Queens, na cidade de Nova York, seguindo Connie em uma odisseia noturna repleta de desventuras.

Os sacrifícios do ator pelo filme independente de baixo orçamento tiveram lucros, com boas críticas para sua performance "pós-Crepúsculo".

O crítico Sam Fragoso, do "TheWrap.com", comparou a excitante performance maníaca de Pattinson à atuação de Robert De Niro no suspense "Caminhos Perigosos", de 1973, enquanto Emily Yoshido, da New York Magazine, disse que o ator britânico teve um de seus melhores trabalhos da sua carreira pós-franquia.

O filme recebeu uma avaliação de 100 por cento entre críticos no agregador de filmes "RottenTomatoes.com".


Final do conteúdo

Últimas Notícias

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem