Celebridades

'Público de novela não precisa mais de mocinho e vilão', analisa Juliana Paes

Para a atriz Juliana Paes, o sucesso de “Totalmente Demais” (Globo), que bateu recorde de audiência dos últimos anos no capítulo final, é explicado pela complexidade de seus personagens.

“O público das novelas não precisa ser subestimado. É um público que não precisa mais de mocinho e vilão, o maniqueísmo clássico”, afirma a atriz que viveu Carolina.

A personagem dividia as atenções de Arthur (Fábio Assunção) com Eliza (Marina Ruy Barbosa), a protagonista da novela. No fim, o triângulo amoroso se resolveu: Eliza ficou com Jonatas (Felipe Simas) e Carolina, com Arthur.

Sua personagem, em uma novela mais arquetípica, seria uma vilã escrachada, já que disputava o galã com a mocinha. Não era o caso. 

“É uma mulher de verdade. Ela teve momentos egoístas, teve momentos doces. Então havia essa diversidade de características em cada um dos personagens, não só no meu”, disse Paes em entrevista ao “F5”, após participar de um evento na última quinta (2).

Para ela, essa complexidade complementou o enredo, que atraiu justamente por sua simplicidade.

“É uma novela leve, despretensiosa. Não veio com nenhuma trama mirabolante, era a trama clássica de ‘com quem a mocinha vai ficar’.”

"Gostei muito da trajetória de Carolina. Primeiro ela descobriu que não podia ser mãe. Depois adotou um filho e descobriu que ele era soropositivo. Ela se redimiu pela dor, foi uma cascata de acontecimentos sem forçar a barra", comentou.

A atriz viverá, em breve, a Dona Flor (de “Dona Flor e Seus Dois Maridos”), em longa com Marcelo Faria e Leandro Hassum. Depois das gravações, planeja um período de férias de seis meses.

Final do conteúdo

Comentários

Ver todos os comentários Comentar esta reportagem

Últimas Notícias